.

.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

MOTORES FLATHEADS


Os motores Flatheads são aqueles com as válvulas de admissão e escape ao lado do cilindro, por isso são conhecidos também como side valve ( válvula lateral ) e chamado pelos amantes desse modelo simplesmente de “latera"


Curiosamente, apesar do nome de “cabeça lisa”, são os únicos modelos que tem o cabeçote aletado, isso causa uma certa confusão. O termo flathead se refere apenas a ausência de válvulas no cabeçote e não ao seu aspecto externo, funcionando o cabeçote como parte da câmara de combustão e as aletas tem função de resfriamento, já a tampa da Panhead, a mais lisa de todos, é apenas uma capa que cobre os balancins


F – Head

Foram os primeiros Flatheads em V produzidos pela HD, as válvulas ficavam em uma câmara acessória ligada lateralmente a câmara de combustão, eram montadas de forma oposta, sendo a superior de admissão e a inferior de escape. A válvula de admissão era montada dentro de uma “gaiola”, ficando esse modelo também conhecido como Pocket-valve.



Eram motores rústicos, com um sistema de lubrificação de baixa qualidade, tinham uma bomba de óleo rudimentar incorporada a tampa do comando de válvulas ( em 1923 fizeram um upgrade passando a usar bomba externa a tampa ), essa bomba era insuficiente e havia uma segunda bomba de óleo, essa de acionamento manual incorporada ao tanque de óleo. O sistema de lubrificação era do tipo perda total, ou seja, o óleo vinha do tanque para o motor e do motor ia para o chão, um motor politicamente incorreto !!


O comando de válvulas faz o acionamento direto das válvulas de escape, sendo o corpo da válvula apoiado em um tucho mecânico, que por sua vez se apóia em um balancim com roletes que se apóia no excêntrico do comando, o acionamento das válvulas de admissão se dá pelo sistema de varetas, em um lado apoiadas nos balancins superiores ( o que identifica facilmente esses modelo de motor ) e no outro apoiado no balancim inferior que por sua vez se apóia no comando, semelhante ao que ocorre até hoje.



Flatheads

Os flatheads clássicos forma produzidos de 1930 até 1973, com 750 cc, 1200 cc e 1340 cc, sendo esses dois últimos praticamente indistinguíveis entre si.

A configuração clássica desses motores se diferencia dos F-Heads basicamente pela posição das válvulas, lateralmente ao cilindro porém com funcionamento paralelo com sua abertura se dando dentro da câmara de combustão, que é ovalada



O sistema de lubrificação recebeu um grande upgrade, com uma segunda bomba de óleo, localizada sob o bloco do motor, chamada de scavenger, responsável pelo retorno do óleo para o tanque.

O comando de válvulas foi alterado com uma engrenagem com seu excêntrico para cada válvula, com o acionamento direto sendo o corpo da válvula apoiado em um tucho com rolete, que por sua vez se apóia no comando. As engrenagens são sincronizadas entre si, com o eixo do virabrequim e com as bombas de óleo.


Os motores de 750 cc e 1200 cc são externamente muito semelhantes, os cilindros dos 750 cc são menores, mas se não estiverem lado a lado, isso só será percebido por olhos treinados, uma forma fácil de diferencia-los é observar a carcaça esquerda do bloco do motor ( não estou falando de olhar as letras do número do motor, isso seria como colar na prova ), a carcaça do 1200 cc é praticamente lisa com um encaixe circular para a tampa da primária, a do 750 cc apresenta umas aletas e o encaixe da tampa da primária é em “C”.




Em 1937 houveram algumas mudanças nesse motor, perdendo então a designação VL, a mais fácil de ser observada é na tampa do comando de válvulas ( lado direito do motor ) que passou de lisa para aletada



Existem outras diferenças externas mais sutis, como tamanho do coletor de admissão, características do coletor de escape e carburador. Para isso existem os livros.

Como curiosidade, o carburador fica a esquerda do motor, quando a moto é colocada em seu descanso lateral, se a agulha da bóia não estiver boa, vaza gasolina pela boca do carburador encharcando o filtro, quando se está com a moto fora de ponto, sai uma labareda pela boca do carburador e o incêndio está começado. Por isso o extintor de incêndios como acessório opcional de época. Sou testemunha viva desse “detalhe” das ULs, antes da troca do carburador, o antigo pegou fogo duas vezes.


2 comentários:

Deeck Hunter disse...

Muto boa a matéria.
Gostei muito do blog.

Gostaria de saber se você fala inglês, pois só achei livros importados e em inglês...

Parabéns!

Joelson Leite lopes disse...

perfeito seu blog
acabei de me forma em mecanica industrial nivel tecnico. Trabalho com manutenção em motores a disel ligados em geradores (caterpilla).
tambem estou fazendo um blog sobre mecanica... mas ainda estou desevolvendo.

Parabéns pelo blog

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...