.

.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

TORTON, REVISANDO O CIRCUITO DE IGNIÇÃO

Well, hora de brincar de eletricidade. O estado original do platinado que veio nela não era muito animador.


Pela foto, dá para sentir o estado do pobre coitado

Outra coisa que eu aproveitei para trazer da terra do fish and chips foi o jogo de contatos do platinado.

Ao desmontar os contatos, percebi que a rosca do furo onde vai o parafuso que prende o contato móvel dava aperto apenas nos 2 últimos fios de rosca e portanto, era preciso refazer esta rosca.




Pela foto, dá para perceber que a rosca já era. A rosca era 1/8", o que dá quase 3,5 mm de diâmetro externo. O parafuso mais próximo é o M4 (rosca métrica 4 mm). Veja abaixo a comparação entre eles - o com arruela é o M4. 

 Depois de refazer a rosca usando um macho de 4 mm com passo de 0,7 mm, comecei a montagem do conjunto do platinado
 De cima para baixo: mesa do platinado com a placa isolante de celeron e o contato fixo já instalado; parafuso de fixação do contato móvel; contato móvel; suporte de fixação do contato móvel; parafuso de fixação do suporte na mesa; mola plana do contato móvel; parafuso de fixação no eixo, trava do parafuso e carvão.


e agora o conjunto montado. A arruela foi incluída para compensar a maior altura do parafuso M4 de modo a evitar que o parafuso estrague a junta de celeron que isola a mesa da base de fixação do contato. A mola plana do contato móvel está invertida na foto. Foi corrigido no momento de instalação do conjunto na moto.

Outra coisa que foi trocada foi o cabo de ignição. Pensei em adaptar um cabo de vela de uma moto moderna mas praticamente todo cabo hoje é resistivo e encontrei muitas referências sobre a necessidade de usar cabos não-resistivos em motos com magnetos. Ainda não tive chance de checar esta informação e ter certeza disso. Quando souber, posto aqui se é verdade ou outras dessas tantas lendas que correm por aí.




Na dúvida, achei um cabo de ignição usado em tratores, além de um plug de vela também não-resistivo. O plug na outra ponta e o terminal de cobre completam a montagem.

e é claro, a vela de ignição também foi trocada. A referência original é Champion NA8 e a tabela de equivalência com as velas atuais indicava a NGK B6ES.

O próximo passo é a troca dos cabos de comando, todos em péssimo estado, mas isso fica para a próxima postagem.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...